Ver. Preto apresenta PL que beneficia pessoas com deficiência em mobilidade

Na 11ª sessão da Câmara de Vereadores de Novo Horizonte do Sul, o vereador Preto apresentou projeto de Lei nº 10/2015, que institui no município o Programa de Apoio ao deficiente físico ou com mobilidade reduzida.

Na 11ª sessão da Câmara de Vereadores de Novo Horizonte do Sul, o vereador Preto apresentou projeto de Lei nº 10/2015, que institui no município o Programa de Apoio ao deficiente físico ou com mobilidade reduzida.

Segundo o vereador Preto, acessibilidade consiste na possibilidade de acesso a um lugar ou conjunto de lugares, e essa Lei vai garantir essa condição ao morador de Novo Horizonte do Sul.

“Acessibilidade não significa não apenas permitir que pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida participem de atividades que incluem o uso de produtos, serviços e informação, mas a inclusão e extensão do uso destes por todas as parcelas presentes em uma determinada população, visando sua adaptação e locomoção e eliminando as barreiras”, disse o vereador.

Na arquitetura e no urbanismo, a acessibilidade tem sido uma preocupação constante nas últimas décadas. Atualmente estão em andamento obras e serviços de adequação do espaço urbano e dos edifícios, ruas e calçadas às necessidades de inclusão de toda população, visando eliminar os obstáculos existentes ao acesso, modernizando e incorporando essas pessoas ao convívio social, possibilitando o ir e vir.

A mobilidade urbana refere-se às condições de deslocamento da população no espaço geográfico das cidades. O termo é geralmente empregado para referir-se ao trânsito de veículos e também de pedestres, seja através do transporte individual (carros, motos, etc.), seja através do uso de transportes coletivos.

O vereador disse ainda que os deficientes muitas vezes são marginalizados, o que promove a exclusão social e a depressão. “Com um projeto que valorize essas pessoas acredito que em nossa cidade todos terão uma vida ativa, sem restrições no que diz respeito a acessibilidade e mobilidade”, Preto finalizou dizendo que, “em uma sociedade de perfeitos o deficiente é quase que ignorado e excluído, restando confiança na própria família ou em alguma instituição. Acredito que a reversão desse quadro é lento mas pode ser reversível”, finalizou o vereador Preto.

Por: Assessoria

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.